Travessia Petrópolis Teresópolis – a melhor trilha do Brasil

Vista das montanhas da serra dos órgãos, rio de janeiro, no Mirante portais de Hércules, na travessia petrópolis teresópolis

Mirante portais de Hércules, na travessia Petrópolis Teresópolis

Compartilhe com os amigos

A Travessia Petrópolis  Teresópolis é a trilha de longa duração mais popular do pais. Localizado no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), o trecho de 35 km de distância entre as cidades de Petrópolis e Teresópolis é considerado um dos mais bonitos do país, sendo cobiçado por viajantes de todo o Brasil e do exterior.

O PARNASO fica na região serrana do Rio de Janeiro, a pouco mais de uma hora da capital. A curta distância torna perfeitamente possível fazer a travessia aproveitando alguns dias em uma viagem ao Rio. Se for viajar à cidade, não deixe de ler nosso artigo com todas as dicas de atividades ao ar livre do Rio de Janeiro.

Entrada, reservas e preços no PARNASO

Para fazer a travessia é preciso pagar a entrada no parque. Se você optar por dormir nos campings ou abrigos, é preciso fazer reservas pelo site do Parnaso. Caso queira ir nos finais de semana da alta temporada de montanhismo na região serrana (maio a outubro) faça as reservas com antecedência de pelo menos 2 meses. Abaixo coloquei a tabela de preços vigente (maio/2017), mas vale conferir os preços no site do parque para ver se não houve alteração.

Os preços são atualizados a cada ano, e você pode conferir no nesta tabela do site do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

O que levar para a travessia Petrópolis Teresópolis

Água: A água encontrada ao longo da travessia não é potável. Caso queira beber direto de córregos e cachoeiras é recomendado levar um filtro. Os abrigos oferecem água, então o melhor é se planejar para reabastecer uma vez por dia.

Comida: Não há alimentação disponível nos abrigos, então é preciso levar toda a comida necessária. Também não há utensílios de cozinha, então leve os seus.

Segurança: A trilha passa por trechos com exposição a quedas. Se tiver experiencia com montanhismo é recomendado levar equipamento de segurança. Caso não tenha o melhor é fazer a trilha com um guia ou acompanhado de pessoas experientes.

Roupas: Calçados confortáveis são o mais importante. Se tiver bota de trilha, melhor ainda, pois evita torções. Uma capa de chuva sempre poderá ser útil, e roupa para o frio da serra, especialmente no inverno e se for acampar.

Orientação: Sempre bom ter um mapa, seja em papel ou no celular. Bússola e/ou GPS também.

Quando ir

A melhor época para fazer a travessia é o inverno, considerada alta temporada de montanhismo na Serra dos Órgãos. No verão a região serrana sofre com fortes chuvas que podem causar deslizamentos, colocando em risco a segurança dos montanhistas. Além disso, no inverno as temperaturas são mais amenas, facilitando a caminhada nas subidas e trechos com maior exposição ao sol.

Antes de iniciar a trilha vale conferir se não há previsão de nevoeiro, que é comum na região. Nestas condições evite caminhar se não estiver familiarizado com o caminho, pois ficará sujeito a quedas e a se perder da trilha. O melhor a fazer é uma pausa na trilha até a visibilidade melhorar.

Onde começar a travessia

A travessia pode ser feita a partir de ambos os sentidos, mas a grande maioria das pessoas opta por começar por Petrópolis.  Desta forma você vai ter as melhores vistas à sua frente, especialmente enquanto caminhar entre os Castelos do Açu e a Pedra do Sino. Além disso, fazendo a trilha em direção a Teresópolis você passa pela pedra do Cavalinho, obstáculo mais desafiador da travessia, …

Como chegar / Logística

A entrada do PARNASO em Teresópolis fica bem no centro da cidade, é fácil de achar e não há dificuldades para estacionar. Já em Petrópolis, a entrada fica bem escondida e o acesso é difícil, por estrada de paralelepípedo e terra. O estacionamento é feito em uma pousada próxima à portaria. Quando fui pela última vez estavam cobrando 10 reais por dia.

Seguem algumas opções de logística para fazer a travessia:

  • Deixar o carro em Teresópolis, ir de ônibus ou taxi para Petrópolis e iniciar a travessia rumo a Teresópolis.
  • Deixar o carro em Petrópolis, trilha rumo a Teresópolis e volta de taxi (uns 80 reais) ou ônibus.
  • Ir de ônibus para Petrópolis, pegar táxi para a entrada do parque na cidade, travessia rumo a Teresópolis e ônibus de volta a partir de Teresópolis.

A principal dica é não contar com a possibilidade de pegar um táxi ou ônibus na sede de Petrópolis, como já dissemos, ela fica muito isolada da cidade.

Quantos dias na travessia?

O mais comum e recomendado é fazer a travessia em três dias. Os pontos de parada são os Castelos do Açu e a Pedra do Sino. Você pode acampar ou ficar nos abrigos do parque.

Para aqueles que estão com um excelente condicionamento físico e querem um desafio, é possível percorrer os cerca de 35 km de distância  da travessia entre Petrópolis e Teresópolis em um dia. Para isso, chegue às 6 horas da manhã no parque, hora que são abertos os acessos ao Parnaso. Leve o mínimo de peso necessário e só tente em dia de condições climáticas favoráveis.

A travessia Petrópolis Teresópolis em 3 dias

Vamos dar o roteiro da trilha partindo de Petrópolis, e que será percorrida em 3 dias, que é a forma mais tradicional e acessível de fazer a travessia.

1º dia

Seu objetivo no primeiro dia será chegar até os Castelos do Açu, ponto onde estão localizados o abrigo e a área de camping. É neste dia que será feita a maior parte da subida, saindo de uma altitude de pouco mais de 1000 metros acima do nível do mar, na portaria, até os 2200 metros, nos Castelos.

Chegando na entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, é importante se registrar e avisar na portaria quais são os seus planos. A partir dali a trilha começa sob vegetação da mata atlântica ao lado do leito de um rio.

Durante o caminho você tem a opção de pegar um desvio para a cachoeira Véu da Noiva, o que eu recomendo.

Após a cachoeira, e a medida que você ganhar altitude, a vegetação começa a ficar mais baixa e menos densa. A trilha fica mais exposta ao sol e cada vez mais íngreme. É o trecho mais pesado de subida que você irá encontrar, e pode ser feito sem pressa, curtindo a paisagem. A maior parte dos montanhistas leva entre 6 e 7 horas para percorrer os 7 quilômetros do primeiro dia.

Após a subida, o terreno fica um pouco mais plano e já é possível avistar as formações rochosas características da região, como o Pico do Cruzeiro e os Castelos do Açu.

2º dia

O melhor dia da travessia! Neste dia você vai caminhar em direção à Pedra do Sino. O terreno vai se alternar entre trechos planos e alguns vales, mas já não vai ser só subida como no dia anterior. A vista é sensacional ao longo de todo o percurso, especialmente a vista dos morros do Garrafão, Escalavrado e Dedo de Deus, sempre a sua frente.

Ao acordar, não perca a chance de curtir o nascer do sol na serra. Normalmente as manhãs são frias e forma-se um cobertor de nuvens na base das montanhas.

Um pequeno desvio pode ser feito a partir do morro do Marco até o mirante dos Portais de Hércules, onde se tem uma das melhores vistas da travessia.

De volta a trilha principal, após um trecho de descida você vai chegar até o Elevador: um trecho de escada de ferro presa na pedra que auxilia na subida. As mochilas tornam esta parte de trilha desafiadora. É recomendado utilizar algum tipo de equipamento de ancoragem para subir com segurança, pois o metal fica desgastado com a exposição ao clima e pode se soltar. Uma forma de se preservar é manter sempre três pontos de apoio nas hastes de metal, de preferência em peças diferentes.

A partir daqui você já pode avistar a Pedra do Sino, objetivo do dia. A travessia passa por mais um vale, e segue até a temida pedra do cavalinho, ponto mais perigoso da viagem. É recomendado utilizar cordas para atravessar, e não tentar subir com mochila nas costas, para não perder o equilíbrio.

Passado o último desafio do dia, você chega à Pedra do Sino e ao abrigo, onde também fica o ponto de camping. Deixe sua mochila lá, monte a barraca se for acampar e vá curtir o pôr do sol na pedra do sino, com uma vista fantástica das montanhas da região serrana.

3º dia

Aproveite para ver o sol nascendo na pedra do sino. O dia hoje vai ser tranquilo. O corpo, já cansado dos dias anteriores, pode relaxar, porque o terceiro dia é praticamente todo em descida e coberto por árvores. A trilha é bem demarcada e existem duas cachoeiras pelo caminho, sendo a principal a Véu da Noiva (quantas cachoeiras você conhece com esse nome? Eu conheço no mínimo dez!).

Parabéns, você concluiu a principal travessia do Brasil, e certamente teve uma experiencia memorável. Para muitos, a Petrópolis-Teresópolis é a primeira caminhada de longa duração da vida, e serve como porta de entrada para este mundo de trilhas e travessias que tanto amamos.

Ao chegar na sede de Teresópolis do Parnaso, você pode aproveitar as outras atrações do parque. Listamos algumas delas abaixo.

Se você concluiu a trilha, conte nos comentários como foi, e se percebeu alguma informação neste post que está desatualizada, por favor nos informe para corrigirmos. Se está planejando ir e ainda tem dúvidas, fique à vontade para perguntar, vai ser um prazer ajudar a esclarecer.

Coordenadas para GPS

Recebi as coordenadas UTM abaixo de um amigo para usar no GPS. Ainda não conferi, mas deixo aqui porque pode ajudar. Se alguém conferir ou achar um erro avisa aqui nos comentários, por favor.

Coordenadas UTM em Este/Norte (metros), fuso 23

  1. Portaria do Parque (Petrópolis) – 0696819 / 7514508
  2. Bifurcação Açú – Véu de Noiva – 0697976 / 7513904
  3. Pedra do Queijo – 0697747 / 7513586
  4. Ajax – 0697727 / 7512508
  5. Castelos do Açú – 0699359 / 7512188 – alt. 2.165 m.
  6. Morro do Marco – 0700049 / 7512609 – alt. 2.160 m.
  7. Vale do Paraíso – 0700200 / 7513028
  8. Dinossauro – 0700241 / 7513537 – alt. 2.225 m.
  9. Ponte – 0700939 / 7513759
  10. Vale das Antas – 0701406 / 7514436
  11. Pedra da Baleia – 0701890 / 7514459 – alt. 2.065 m.
  12. Pedra do Sino/Abrigo 4 – 0702918 / 7514922 – alt. 2.131 m.
  13. Abrigo 3 – 0703832 / 7515779
  14. Cachoeira – 0704280 / 7515753
  15. Barragem – 0705734 / 7515817 – alt. 1.191 m.
  16. Portaria do Parque – 0707552 / 7516185

Mais trilhas no PARNASO

O Parque nacional da Serra dos Órgãos tem várias trilhas legais, de menor duração. Também dá para fazer partes isoladas na travessia em um dia, indo até a Pedra do Sino e voltando a partir de Teresópolis, e até os Castelos do Açu a partir de Petrópolis.

Trilha Suspensa – 1,3 km –  Sede Teresópolis – Fácil

Trilha Cartão Postal – 1,2 km – Sede Teresópolis – Moderada

Trilha Mozart Catão – 0,8 km – Sede Teresópolis – Moderada

Atrações próximas

Rio de Janeiro – Pertinho de Teresópolis e Petrópolis, tem várias trilhas legais para quem curte natureza. A principal é a da Pedra da Gávea. Também tem as famosas praias cariocas. No nosso artigo sobre a cidade do Rio de Janeiro você descobre quais são as principais atrações ao ar livre!

Ilha Grande – Um destino acessível e muito legal próximo ao Rio de Janeiro é Ilha Grande. A ilha que já abrigou um presídio no passado hoje recebe turistas que adorariam ficar presos por ali. As prais paradisíacos, especialmente Lopes Mendes, e os excelentes pontos de mergulho são as principais atrações. Mochileiros, famílias e casais frequentam a ilha, que lota nos feriados.   

Búzios – Point mais badalado da Região dos Lagos, lota durante o verão. As belas praias atraem turistas do Brasil inteiro, além dos gringos que adoram o lugar. Os esportes de praia dominam a areia e as águas, com destaque para o surf, sup e vôlei de praia.

Arraial do Cabo – Meca do mergulho no Brasil, a cidade tem algumas das praias mais bonitas do país. Atrai mergulhadores profissionais e amadores para explorar seus oceanos, já que os cursos são abundantes. Os passeios de barco são uma atração à parte, e o clima de cidade pequena ajudam a explicar a popularidade do lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *