Perito Moreno – dicas para sua aventura gelada na patagônia argentina

Mini trekking na geleira perito moreno, o glaciar mais famoso da patagônia argentina

Trilha na geleira Perito Moreno

Compartilhe com os amigos

O Perito Moreno é uma geleira localizada na Patagônia Argentina, a cerca de 50 km da cidade de El Calafate.

O glaciar é abastecido pelo Campo de Gelo Patagônico Sul, que é a terceira maior reserva de água doce do mundo. Ao contrário da maioria das geleiras do mundo, que está derretendo, o Perito Moreno está aumentando de tamanho, e os cientistas ainda não descobriram o motivo.

A face do Perito Moreno, que é observável a partir das plataformas do Parque Nacional Los Glaciares, tem cerca de 5 km de extensão e forma uma parede de gel ode 60 metros de altura.

O nome da geleira é uma homenagem ao explorador Francisco Moreno, que viveu no século 19, foi diretor do museu da Sociedade Cientifica Argentina e defendeu a Argentina na disputa com o Chile pelas fronteiras da região patagônica.

Mini Trekkking ou Big Ice

A caminhada no gelo pode ser feita através de dois passeios: O Mini trekking, e o Big Ice. Abaixo detalhamos melhor cada um deles.

Os dois passeios são semelhantes, porém a intensidade é bem diferente. Enquanto o mini trekking é mais curto e realizado nas proximidades da costa, na parte final do glaciar, o Big Ice é mais longo e realizado em região mais isolada da geleira. Em ambos você vai caminhar pela floresta até a subida no gelo e ter a oportunidade de passar pelas plataformas de observação.

Minitrekking

  • 1:30 caminhando no gelo
  • 40 minutos de trilha (ida e volta) até a subida na geleira
  • Aceita pessoas entre 10 e 65 anos de idade.
  • Não é adequando para pessoas com excesso de sobrepeso e com dificuldades de locomoção
  • Não é permitida a participação de grávidas, em função do risco de queda decorrente da utilização de crampons para caminhar.
  • Não é realizado nos meses de maio, junho e julho.

Big Ice

  • 3:30 caminhando no gelo.
  • 2:30 horas de trilha (ida e volta) até a subida na geleira.
  • Aceita pessoas entre 18 e 50 anos de idade.
  • É necessário bom condicionamento físico para aproveitar.
  • Não é permitida a participação de grávidas, em função do risco de queda decorrente da utilização de crampons para caminhar.
  • Não é realizado nos meses de maio, junho, julho, agosto e início de setembro.

Quando ir ao Perito Moreno

Como descrito acima, a aventura só não pode ser feita período de inverno, quando as condições climáticas não permitem que as caminhadas sejam feitas com segurança. O período em que o Minitrekking fica indisponível é um pouco menor que o do Big Ice, por ser realizado em uma área mais “tranquila” da geleira e ser de menor intensidade.

A alta temporada na patagônia ocorre nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro. Caso esteja planejando visitar nesta época é recomendado fazer reservas para os passeios com antecedência.

O que levar

Para caminhar no gelo é preciso usar calçados esportivo com cadarço ou botas de trilha. Também é importante levar óculos de sol, protetor solar, luvas e gorro. Roupas confortáveis, adequadas à temperatura local e se possível uma jaqueta impermeável.

O passeio não inclui almoço, então levar um lanche é uma boa ideia.

Como reservar

As reservas podem ser feitas no site da empresa Hielo y Aventura, responsável pelo passeio. Os preços para a temporada 2017/2018 são:

Mini trekking 3200 / 2400 pesos com o u sem transporte

Big ice 5600 /  4600 peses com ou sem transporte

Existem descontos para crianças e idosos.

Vista frontal da geleira perito moreno, em el calafate, patagônia argentina

Vista frontal da geleira Perito Moreno

Caminhando na geleira Perito Moreno

Vou descrever abaixo o mini trekking, que foi o que eu fiz.

E porque escolhi o mini trekking?

Preço! Basicamente isso. Queria ter a experiência de caminhar na geleira, que seria nova para mim. Nunca tinha visto neve ou geleiras antes E para isso tanto o Mini Trekking quanto o Big Ice atendiam à minha expectativa. Como tinha uma diferença razoável de preço, optei pelo primeiro.

Depois eu me arrependi. Não porque tenha sido ruim, justamente o contrário. Gostei tanto que queria ter feito versão mais longa, mais desafiadora.

O tour começou cedo, esperando o ônibus no hotel. De lá foram cerca de XX horas até o parque Los Glaciares. A viagem é um atrativo por si só. Os lagos andinos e as montanhas cobertas de neve vão passando pela janela enquanto o guia fala sobre a história e a geografia da região. Já dentro do parque é possível ver as Torres del Paine, em território Chileno, se o tempo estiver bom.

Depois do ônibus, é a vez do barco. Apesar do vento frio, a parte superior da embarcação, aberta, era a mais disputada. Dali era possível ver o Perito Moreno se aproximando, e o integrantes do grupo aproveitavam para tirar as primeiras fotografias.

Como o dia estava ensolarado usei botas, uma calça leve para trilhas, camiseta e uma jaqueta impermeável por cima.

O passeio começou com explicações sobre a formação geológica do glaciar Perito Moreno e o processo de acumulação e derretimento de gelo que atuam em uma geleira. Após a aula, que é muito interessante, começa a caminhada.

São cerca de 40 minutos por uma trilha de terra batida às margens do lago, até chegar ao ponto onde a geleira encontra terra firme. Ali paramos para vestir os grampos (grampos usados sob as botas) e assistir uma demonstração sobre com andar com eles. Andar com os grampos em terra firme é um desafio, mas assim que subimos no gelo dá para entender a importância deles.

Os primeiros passos no Perito Moreno são inseguros. Levei alguns minutos para acostumar com a superfície. Mas depois a caminhada fica mais natural.

Seguimos em fila indiana geleira adentro. Subimos colinas de gelo, vimos cavernas, fissuras e cascatas, sempre parando para tirar fotos. Após algum tempo você está cercado por gelo por todos os lados, e fica até difícil saber de onde veio. Felizmente os guias estão acostumados com o trajeto e seguem com tranquilidade.

As formações mais legais são os rios que se formam pelo Perito Moreno, e se tornam pequenas cachoeiras ao encontrar fissuras no gelo. A altura das quedas impressiona, em alguns casos nem dá para ver o fundo.

Ao término da caminhada, é hora de uma tradição local: é servido um copo de whisky com gelo do glaciar e alguns alfajores para brindar a realização da aventura. Depois saímos do Perito Moreno, descalçamos os crampons e seguimos para a área das passarelas, de onde a maioria dos turistas observa o glaciar.

A trilha é bem tranquila. Caminha-se devagar, com várias paradas, sempre atrás do guia. A única dificuldade é o terreno irregular e escorregadio, que pode causar quedas. Pelo menos para mim não foi nada desgastante ou cansativo. Pareceu adequado a qualquer pessoa que não tenha dificuldades de equilíbrio e mobilidade.

Atrações próximas ao Perito Moreno

Citamos abaixo outras cidades que costumam fazer parte do roteiro de viagem para a patagônia argentina.

El Chalten

Essa pequena cidade ao norte de El Calafate atrai vários viajantes para conhecer a parte norte do parque nacional Los Glaciares. A principal atração são as trilhas ao redor do cerro Fitz Roy. As paisagens são incríveis, como este mirante na laguna de los três. É especialmente popular entre mochileiros.

Ushuaia

A cidade do fim do mundo, na Tierra del Fuego, é considerada aquela que fica mais ao sul no mundo. Por isso, é o principal ponto de partida para excursões à Antártica. O Parque Nacional Tierra del fuego e as excursões de barco pelo Canal de Beagle, com várias colônias de pinguins e leões marinhos são os principais atrativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *